Paulo inventou o Cristianismo Uma religião Judaico Cristã diferente da Religião de Jesus

Reconstituição facial de Paulo feita pelos especialistas do LKA Renânia do Norte-Vestfália, Alemanha.

Reconstituição facial de Paulo

O que Jesus nos ensinou é a mesma coisa que Paulo nos ensinou?

Não! Bem antes de Saulo de Tarso, conhecido atualmente como São Paulo, se "converter" à crença cristã já haviam cristãos pregando e se reunindo em nome de Jesus. Quando lemos a Bíblia temos a impressão de que Paulo iniciou tudo, mas Paulo se converteu cerca de 3 a 4 anos após a morte e ressurreição de Cristo. Os apóstolos (12 ou 11 iso merece outro artigo) já pregavam as palavras de Jesus desde sua ressurreição, Mateus em seu evangelho nos diz que Jesus passou 40 dias de (após pentecostes) ensinado e orientando os apóstolos. Se estudarmos a história da bíblia veremos que tanto Pedro quanto Tiago não confiavam em Paulo, Pedro chega a chama-lo de "meu inimigo".

Ao lermos a carta de Galatas notamos que Paulo tornou-se mais um anti-semita (anti-judaismo) do que cristão. Ele excluiu toda a Lei Mosaica e atacava a circunscrição (cirurgia feita em meninos onde se retira a pele que cobre a parte superior do penis dias após o nascimento em favor de Javé) quase como um pecado. O autor de Hebreus, teoricamente Paulo (mas há controvérsias) disse: “Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma), e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus” (Hebreus 7:18-19). Revogar, neste trecho, significa anular, abolir, ou remover. No mesmo capítulo, ele falou da mudança (ou remoção) da lei (Hebreus 7:12). O mesmo é dito por Paulo em Gálatas que os cristãos não estão “subordinados” à Lei (Gálatas 3:24-25), mesmo os cristãos judeus (anteriores a Paulo), que estavam sujeitos à lei, foram libertados dela (Romanos 7:6). O escrito da dívida foi removido inteiramente na cruz, pois Jesus cumpriu aquela Lei (Colossenses 2:14). Após a morte do Testador, a Nova Aliança tomou seu lugar (Hebreus 8:6-13; 9:15-17). MAS JESUS NUNCA disse nada que excluísse esta prática, ao contrario ele disse que nada se passaria, linha por linha seria cumprido da Lei Mosaica.

Em Mateus 5:17-18, Jesus disse: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas, não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo, até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” Alguns citam esta afirmação para tentar obrigar as pessoas de hoje a guardarem o sábado e outros mandamentos da Antiga Aliança.

É fato que Jesus não seja um Judeu Fariseu, entenda que havia vários tipos de Judeus, e os fariseus (vistos muito negativamente na bíblia) eram Judeus Ortodoxos, ou seja literais na palavra Escrita. Mas haviam outros grupos como os Saduceus (alta classe, conservadores por um lado, mais sóbrios na interpretação), Essênios )grupo mais fechado e que viviam exclussos, João Batista era um Essênio) e Zelotes (grupo radical que condenava Jesus pois esperavam um messias guerreiro). Tinhamos ainda Herodianos (Aceitavam herodes como o Messias para terem benefícios) e Samaritanos (detestados pelos Fariuseus por considera-los oportunistas).

Vamos conhecer um pouco sobre estes grupos, especialmente Saduceus e Fariseus:

1 - Os saduceus eram mais conservadores. Consideravam apenas a Palavra escrita (hoje, o Velho Testamento ou Tanakh) como divina, enquanto os fariseus colocavam a tradição oral (ou melhor a interpretação dos rabinos) em igualdade com a mesma.
2 - Os saduceus negavam a ressurreição dos mortos, além da existência de anjos e demônios, enquanto os fariseus aceitavam (Atos 23:8).
3 - Apenas os fariseus acreditavam em vida e recompensa/punição após a morte.
4 - Os saduceus defendiam a idéia do livre-arbítrio humano, enquanto os fariseus atribuíam os acontecimentos à vontade de Deus.
5 - Apenas os fariseus defendiam a “Tradição dos Antigos”, considerando-a como o desenvolvimento da Torá escrita.
Hoje sabemos que muitos membros desses grupos, principalmente fariseus, converteram-se ao Evangelho (Atos 15:5). Alguns fariseus alertaram Jesus para o fato de Herodes querer matá-lo (Lucas 13:31), e Jesus foi convidado por um fariseu para jantar em sua casa, e assim o fez (Lucas 7:36). Ao que parece Lucas (autor do evangelho e de Atos era um fariseu ou tinha tendência a tal.
Ao perceber que não havia um Judaismo apenas, fica fácil perceber que o Cristianismo era na realidade mais um ramo Judaico, mas Paulo, ates Fariseu, tenta dissuadir os Judeus a abandonarem suas crenças Judaicas e se focar unicamente no Cristianismo, mas não ao cristianismo real, um Cristianismo criado na cabeça de Paulo.
Paulo não conhecia NADA sobre os evangelhos, era um cego conduzindo outros cegos, ele sabia o que todos sabiam, o que era de conhecimento público na época, assim ele se define:
 "Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus, que ele antes havia prometido pelos seus profetas nas santas Escrituras, acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne,e que com poder foi declarado Filho de Deus segundo o espírito de santidade, pela ressurreição dentre os mortos-Jesus Cristo nosso Senhor"(Romanos 1-1-4)
Isto é tudo o que Paulo sabe sobre Jesus, e nesta apresentação a Roma ele tenta demonstrar seu conhecimento para impressionar os Romanos, sem negar em absoluto as Santas escrituras (Velho testamento), pois ele via Roma como uma grande mercado para sua nova fé, e sabia que o que faziam por lá era diferente do que ele pregava. A Carta de Romanos, aclamada por muitos é uma prova viva da sagacidade de Paulo em introduzir-se em um novo mundo.
Leia todas as cartas de Paulo e tente descobrir se ele cita os milagres de Jesus, ele não conhecia os evangelhos. Sabe por quê? Porque eles ainda não haviam sido escritos. As cartas de Paulo são as mais antigas parte da Bíblia, todos os Evangelhos foram escritos entre 40 a 9o anos após a morte de Jesus, assim Paulo não conhecia NADA. Paulo foi um homem erudito que criou uma religião baseada em uma visão que supostamente teve de Jesus, mas mesmo esta visão é questionada pois seus relatos em Atos mostram varias incongruências.
A Biblia foi montada da forma como conhecemos exatamente para nos levar a crer que tudo começou pelos Evangelhos, em seguida pelos Atos dos apóstolos (atividades de todos os apóstolos em especial Paulo e Pedro), em seguida as cartas Paulinas (imaginando que seria o resultado dos Atos), e finalizando pelo Apocalipse (atribuído a João apostolo). MENTIRA! A ordem correta e cronológica seria:
Cartas de Paulo, iniciando por Tessalonicences e terminado por Romanos, em seguida os atos dos Apostolos e agora sim, os evangélicos na ordem da bíblia (Marcos, Mateus, Lucas e João), e ao final Apocalipse. Mas se assim o fosse, perceberíamos que Paulo teria criado uma religião de uma ideia vaga do salvador, varias ideias e preconceitos de Paulo, e acima de tudo uma forma amena do Judaísmo.
Assim, Paulo inventou um cristianismo! É triste constatar isto. Se você conhecer a historia de (São) Francisco de Assis, verá que ele não tem conexão com Paulo e suas cartas, pois Francisco teve acesso apenas aos Evangelhos. A Ordem Franciscana é em ultima analise uma fé verdadeiramente evangélica, mas infelizmente (por medo da igreja católica) ela foi agregada à igreja católica. Caso contrario Francisco teria sido o percursor de Martinho Lutero, a separação teria acontecido naquele momento.
Conclusão
Bem, deixarei ao leitor tomar esta decisão, seria Paulo realmente um cristão ou um charlatão? Paulo não conhecia os evangelhos (até seu encontro com Paulo e Tiago), assim com base em que ele pregava, se não citou sequer uma fala/frase de Jesus, ele não conhecia sequer a traição de Judas?
Que a paz e a mente de Jesus esteja em sua mente e te faça ver a verdade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *